Os 3 inimigos da qualidade de vida em home office

Compartilho aqui, nosso artigo publicado originalmente no site da Rede Mulher Empreendedora, em 20/11/2015.

Série Home Office #1:
OS 3 INIMIGOS DA QUALIDADE DE VIDA PARA QUEM TRABALHA EM CASA

É muito interessante pensar o quanto mudamos a nossa forma de trabalho nesses últimos anos. Ainda me lembro quando instalamos o primeiro computador com acesso à internet do escritório. Que revolução para a época! Ele ficava no corredor, em uma mesa mais larga, já que aquele enorme monitor ocupava quase que a metade do espaço! Meio improvisado, era ali o disputado “Internet point“, onde todos se revezavam para que cada um pudesse utilizar um pouquinho durante o dia.

Lembrando desse cenário no trabalho, é incrível pensar que hoje, tão pouco tempo depois, cada um tem o seu notebook e  smartphone, conectados 24 horas no dia. Com tantos avanços tecnológicos, não dá para ignorar as mudanças na forma de trabalhar. Cada vez mais o conceito de flexibilidade invade as nossas vidas e derruba as barreiras físicas dos espaços. Por que preciso estar no escritório para trabalhar? Nos desprendemos do espaço e hoje trabalhamos de qualquer lugar, a qualquer hora.

O resultado disso tudo?  É aquele que muitas das empreendedoras que estão lendo esse artigo já vivenciam: Trabalhamos muito mais! E é aí que, quando extrapolamos os nossos limites físicos e psíquicos e transformamos o excesso de trabalho em stress, acaba afetando a nossa produtividade e satisfação profissional.

Sou arquiteta e desde o ano passado atuo como especialista em projetos para ambientes de trabalho. A partir de muitos estudos, tenho percebido que, como alternativa pela busca da qualidade de vida, muitos profissionais tem optado pelo trabalho em casa. Da mesma forma, as empresas também estão se dando conta dos benefícios que ganham ao permitir que seus colaboradores trabalhem próximo das famílias, sem o stress do trânsito e da rotina de ter que cumprir horário na empresa. Perco a conta da quantidade de pessoas que conheço e que passaram a exercem suas atividades profissionais em casa.

Então, inspirada em e-mails de dúvidas sobre os espaços de Home Office e também no último texto da querida Fernanda Miranda, também embaixadora da Rede Mulher, (Link do texto: http://www.redemulherempreendedora.com.br/artigos/geral/-home-office–sera-que-serve-pra-mim/), início hoje uma série de 5 artigos com informações práticas sobre os espaços de Home Office a partir da visão da arquitetura.

Para estre primeiro texto, trouxe 3 questões que podem estar sabotando a ideia de ter mais qualidade de vida trabalhando em casa:

  1. Não ter um local específico para trabalhar

Com a flexibilidade da Internet (Wi-Fi) e com a informalidade de estar em casa, vejo muitos casos onde não existe uma estação de trabalho fixa, hora ela é na mesa de jantar, hora no sofá. Se a intenção é trabalhar, nem que seja só por meio turno, sugiro procurar um local específico e prepará-lo para esta atividade. Existem diversos exemplos de Home Office que ocupam muito pouco espaço e atendem as necessidades. Investir em pelo menos uma bancada com cadeira e algumas prateleiras para armazenamento é uma opção inteligente e saudável. Segundo a pesquisa realizada pela Regus, 32% dos entrevistados reclamaram de má postura da coluna que ocasiona dores ao trabalhar em casa, devido a instalações inapropriadas. Com desconforto físico, obviamente influencia a produtividade.

  1. Cadeiras com lindo design mas pouco conforto

Fico encantada com a decoração e a personalidade de cada um em seu Home Office. Percebo um apego ao espaço físico muito maior dos profissionais que trabalham em casa e isso é lindo! Porém, se o espaço será de fato um local de trabalho, saliento que não se perca o foco! Se o objetivo é produzir no computador, o mobiliário deve ser adequado para essa finalidade. Entendo que cadeiras com design são uma tentação, então que tal deixá-las para a sala de jantar? Em qualquer local de trabalho a melhor escolha sempre será cadeiras tipo de escritório, com pelo menos 3 funções básicas: regulagem de altura do assento, regulagem de altura do braço (sim, tem que ter braços!) e encosto com o apoio de lombar (sente-se na cadeira e perceba se a lombar fica bem apoiada no encosto). 

  1. Notebook em posição inadequada

A grande maioria dos profissionais que trabalha em casa, utiliza notebook.  Sem dúvida é super prático e útil para trabalhos temporários, porém chamo a atenção, novamente, aos desconfortos físicos que podem ocorrer após muitas horas de trabalho. Para evitar prejuízos à saúde, é necessário acrescentar um suporte para notebook, mouse e teclado externo. Dessa forma, conseguimos trabalhar em uma postura adequada, sem queixas e com mais produtividade.

Fonte: http://www.qualidadecorporativa.com.br/